A Garganta da Serpente
Veneno Crônico crônicas
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Zezinho e o Dia dos Pais

(Luciana do Rocio Mallon)

Era uma vez , Zezinho , um menino de seis anos , sua mãe faleceu no parto e o seu pai estava desempregado há seis meses .

O que este menino não sabia é que há um mês atrás , por falta de oportunidade de conseguir um emprego honesto , seu pai decidiu trabalhar colaborando com o tráfico de drogas .

Era o mês de agosto e o dia dos pais se aproximava . Então , Zezinho só via este tipo de comercial na televisão :

- Se você tem um pai especial , então compre um presente especial !

- Você precisa comprar um presente para quem dedicou a vida inteira a você !

- Compre uma furadeira para o seu pai , por apenas : R$ 13 , 99 mensais .

- Neste dia dos pais , você precisa presentear o seu pai !

Estes comerciais atentavam a cabeça de Zezinho . Porém , ele ficava triste porque não tinha dinheiro para presentear o seu pai .

Na véspera do dia dos pais , no meio de uma horrível tempestade , Zezinho estava na rua e decidiu entrar numa loja de ferramentas , onde havia uma furadeira igual a do comercial .

Então , este menino entrou na loja e em frente da furadeira pensou :

- Nossa , esta furadeira é igualzinha a do comercial do dia dos pais !

- Poxa , meu pai é especial , então ele merece este presente especial !

- Neste dia dos pais , eu preciso presentear o meu pai . Afinal , minha mãe faleceu quando eu nasci e o meu pai foi quem me criou sozinho .

- E se seu pegar esta furadeira e sair correndo ?

Assim , Zezinho , pegou a furadeira e saiu correndo . Mas , o " bip " contra furtos da loja foi acionado e um segurança correu atrás o moleque no meio daquela chuva impiedosa .

Porém , o guardião agarrou Zezinho com tanta força , que o menino desmaiou e teve que parar no hospital .

Lá , os médicos diagnosticaram que o moleque estava com pneumonia e tentaram localizar o pai do menino em vão .

Depois de algumas horas , uma enfermeira entrou no quarto de Zezinho e disse :

- Boa - noite , meu nome é Mari , eu vim trocar o seu soro . Eu já sei de tudo o que aconteceu , não se preocupe , porque daqui a pouco acharão o seu pai e amanhã você poderá dar um abraço especial , de dia dos pais , nele .

Assim , Zezinho , falou sem forças :

- O que eu queria dar , realmente , era um presente para ele . Afinal , minha mãe morreu no parto e foi o meu pai quem me criou sozinho .

Deste jeito , Mari falou :

- Então , vamos rezar pelo seu pai ?

Desta maneira , o menino respondeu :

- Vamos !

Assim , os dois começaram :

- Pai nosso , que estais no céu ...

O que eles não sabiam , é que neste mesmo momento , o pai de Zezinho tinha levado um tiro mortal numa briga entre traficantes rivais .

Naquele mesmo segundo , no meio da oração , o menino começou a passar mal e a sentir falta de ar .

Então , a enfermeira correu para trazer o equipamento .

Porém , quando Mari e sua equipe chegaram no quarto , o menino já havia falecido .

E você , leitor , já conheceu uma história semelhante a esta ?

  • 1722 visitas desde 6/08/2010
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente