A Garganta da Serpente
Veneno Crônico crônicas
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

SINCERIDADE NO AMOR

(Marcial Salaverry)

A sinceridade é exigível em todo e qualquer tipo de relacionamento. Seja comercial, seja de amizade, e principalmente no amor.

Existe apenas um tipo de relacionamento onde a sinceridade é artigo perfeitamente descartável... É na política. Se alguém me apontar um político sincero, estarei diante de um mentiroso, pois as artimanhas políticas não permitem que haja alguém que queira ter uma conduta correta. Porém, meu objetivo não é deslindar as tramóias sórdidas que envolvem as maquinações políticas, mas sim falar do relacionamento que exige uma sinceridade total e completa, O AMOR.

Um de meus alunos favoritos, um certo poetinha chamado Vinícius de Morais (alguém já ouviu falar dele? É um menino de futuro...), escreveu assim sobre o assunto:

"Falar ao coração não é jogar com as palavras.
É olhar dentro dele com olhos de sentimento.
Não é dizer "eu te amo" com a voz.
É dizer "eu te amo" com o próprio amor".

Lindas demais essas palavras... Obrigado poetinha, por mais esta jóia literária...

Vinícius disse tudo. Quando se está falando de amor com alguém, estamos jogando com os sentimentos, que é a coisa mais sagrada da alma humana.

A frase "eu te amo", está simbolizando todo o amor que deve existir num relacionamento sincero. Não é simplesmente dizer "eu te amo", é tudo o que implica no ato de se declarar amor ao parceiro (a). Sempre deve haver sinceridade.

Podemos espezinhar alguém fisicamente, podemos até machucar o corpo, porque isso tem conserto. Agora espezinhar os sentimentos de outra pessoa... é muito cruel. Por vezes causa danos irreversíveis. Pessoas entram "em parafuso" por causa disso.

Existem diversas situações em que se pode dizer "eu te amo"... sem que esteja envolvido o Amor propriamente dito.

Diz-se para uma filho, para um pai, para um amigo muito íntimo. É amor de outro tipo. E também só deve ser dito com sinceridade.

Eu te amo, dito docemente, olhos nos olhos... é o ponto máximo... são as palavras que todos almejam ouvir estando ao lado da pessoa amada. Convenhamos... pode levar ao êxtase, à entrega total. Nesse momento, crianças, é indispensável que haja sinceridade. É indispensável que esse "Eu te amo", seja dito com coração, com a alma. Se não houver a certeza plena, vale mais a pena dizer "Gosto de você".

Mesmo que seja um amor de momento... uma aventura fugaz... tem que estar sentindo realmente que o amor é sincero.

Já vi muitos relacionamentos terminarem, simplesmente porque descobriram que não se amam mais. Não se amam mais, ou nunca se amaram? O amor não acaba assim. O amor sempre permanece. Simplesmente acharam que se amavam e de repente quebrou o encanto, e descobriram a inutilidade de permanecerem juntos.

O triste, é quando um dos lados continua amando, e sofre muito quando descobre que o outro quis apenas se divertir às suas custas. O sentimento de frustração é muito forte.

For por causa de casos assim, que o poetinha recomendou dizer-se "Eu te amo", com a voz do amor... Não devemos brincar com os sentimentos alheios...

Pode-se dizer eu te amo com o sentido de amizade... mas essa amizade deve ser real mesmo. Uma pessoa amiga saberá interpretar esse eu te amo, como uma declaração de carinho. E também nesses casos, deve ser dito com a "voz do amor", já que amizade é um tipo de amor que também exige reciprocidade, e que pode se transformar em amor-amor também... Depende do desenvolvimento das relações entre ambos.

Bem crianças, com toda a sinceridade que sempre tive, desejo a todos UM LINDO DIA.

  • 2465 visitas desde 14/08/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente