A Garganta da Serpente

Quimzé Reis

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O QUE VAI SER DE MIM?

E se as palavras matassem
e nem uma lágrima guardassem
o que seria de mim?

Por todo o á procura,
mesmo nas ruas da amargura
de alguém só para mim!

E nem o sol nem a lua
trouxeram uma palavra tua
a este ser à beira do fim...

E o meu destino está morto
como um velho barco sem porto
e o que vai ser de mim?


(Quimzé Reis)


voltar última atualização: 29/11/2005
7497 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente