A Garganta da Serpente

Quelyno Souza

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

PASSAPORTE

Ele me beija e vai embora
Na despedida no aeroporto
O meu coração não agüenta e chora

Ele borrou minha boca
Sujou minha vida
Deixa-me louca

Fico criando ilusões sem fim
Quem sabe em outros braços
Já até esqueceu de mim

Na solidão do fim do ano
Acreditei na sua volta
Esse foi mais um desengano

O meu peito ainda está aberto
Preciso tanto querido
Ter você por perto


(Quelyno Souza)


voltar última atualização: 05/02/2008
12015 visitas desde 16/09/2007

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente