A Garganta da Serpente

Quelyno Souza

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

ESTACA ZERO

Foi só pra satisfazer você
Que tantas vezes brinquedo
Na noite tive que ser

Quando saí de casa já era dia
Joguei todas minhas fichas
Numa rua triste e vazia

Vendo as estrelas até esqueço
Que já perdi noites de sono
E ando fazendo coisas ao avesso

Se às vezes me desespero
Mesmo assim sei que não mereço
Vê nosso caso na estaca zero

Como vai ficar o meu peito
Sem ter onde arriar meu cansaço
Como vai ficar meu coração
Sem você, sem teus beijos e abraços?


(Quelyno Souza)


voltar última atualização: 05/02/2008
12062 visitas desde 16/09/2007

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente