A Garganta da Serpente

Lucien

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

MINHA PAREDE

Na minha parede
fotos minhas, suas, nossas...
cartões, datas, memórias
pedaços de vida colados
imutáveis, mas frágeis.
mas é tão pouco...
tanto ficou por ser dito
mais ainda vivido...
as vezes eu te odeio...
mas sinto tanta saudade...
Nessa tarde vazia... as folhas caem
O sol cai, tô com frio...
Eu ainda grito... eu tô aqui... tô vivo...
Vem me buscar...


(Lucien)


voltar última atualização: 24/08/2002
5442 visitas desde 01/07/2005

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente