A Garganta da Serpente

Lucien

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

AVESSO

Eu posso te olhar...
Ver o seu avesso
De trás pra frente
Seus ossos, ver do que é feito...

Sua dor, seu medo
O que você esconde, seu segredo
O que não gosta de mostrar
Suas bactérias, seus vermes
Que te comem pra viver

Prefiro sempre a sua outra face
A escondida, a ridícula
a escarrada, o seu próprio escárnio
Sinto o pino da sua perna...
Seus dentes falsos...

Você é mentira
Dos pés à cabeça
Tentando disfarçar um sorriso
E esse penteado anormal
guardando suas salas escuras...

Ah como é bom remexer suas entranhas
seus intestinos, de longe, de fora

E saber que você sabe o que eu estou fazendo...


(Lucien)


voltar última atualização: 24/08/2002
5445 visitas desde 01/07/2005

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente