A Garganta da Serpente

Lilian Gattaz

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

clarobscuro

incêndio no mar de dentro
sede na seda rubra da tua boca
rutilantes lábios na pele cintilante
lascívia.
brancas ondas em pura seda,
teus cabelos:
onde ontem meia-noite, hoje aurora.
nos encontros vesperais
- puro desejo -
o teu no meu segredo funde e cresce
sobre os ébrios mares
de saudade e medo.
memoriais.
memórias de meias noites
das meias-de-seda na taça
do risco no disco e
da seda na meia taça
no meio deste peito metafórico :
seio, albergue polimorfo,
onde não estás
sempre te vejo.


(Lilian Gattaz)


voltar última atualização: 07/10/2006
4023 visitas desde 07/10/2006

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente