A Garganta da Serpente

Heloisa Galvez

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Ponte Pencil

Existem dois penhascos altos
Separados por um rio
Une-os uma ponte pencil
Feita com tênue fio
Atravesso
Pois nesse momento cortante
Caminhar é tudo que posso
Economizo perigos, calada
Minha vista alcança
Minha espada que descansa
No verde vale do outro lado
Um vento gelado pergunta:
-Onde você quer estar?
Olho pra dentro de mim
E prossigo devagar
Sem saber se vou morrer
Ou chegar...

Como me perdi tanto? Como vim parar aqui?


(Heloisa Galvez)


voltar última atualização: 26/10/2010
30979 visitas desde 26/07/2007

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente