A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

cascos negros

o céu se pinta
aquarela medonha

sob este piso que se move
homens trágicos
esperam por sua sentença

este céu é cavalo de cascos negros
cavalga trôpego precipícios
olhos de opala em fogo
todas as cores do arco-íris


:
mas agora
nada se vê
tudo é obscuro véu


(Edson Bueno de Camargo)


voltar última atualização: 23/05/2017
31410 visitas desde 01/07/2005

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente