A Garganta da Serpente

Artur da Távola

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O Peixe

Cego e sagaz
tudo vê e nada sabe.
Mudo e falaz
é lâmina sem espada,
folha elegante de matéria
do abissal silêncio onde reina sem querer.

O peixe cumpre rituais
que desconhece.
Pecilotérmico,
é faca, escama, escuna
de peso levitado e fléxil.
Respiração sem ar.
O peixe escamoteia a inércia
e re-inaugura
a gratuidade do movimento
que o conduz à não direção
onde se esconde, copula,
e consome o invisível.


(Artur da Távola)


voltar última atualização: 02/09/2010
15238 visitas desde 27/09/2005
Que tal comprar um livro de Artur da Távola?


  • O Jugo das Palavras


Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente