A Garganta da Serpente

Arneyde T. Marcheschi

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

PECADOS INCONTIDOS

Quando deito a seu lado
adoro, quando você vem
todo assanhado,despojado
desbravando minhas entranhas,
banhando-se no licor do meu corpo,
escalando meus desejos,como se fosse
sua Vênus,exuberante musa,
sorvendo de sua língua
o liquido que sacia meus desejos.

Adoro lambuzar-me toda de você,
nesse corpo ardente,gostoso,
provocante,indecente,malicioso
cheiroso,que é todo meu.

Quando suas mãos deslizam
sobre mim, descortinando
toda minha geografia,
desafiando o universo
acendendo a luz da noite no meu gozo
em meio a nossa deliciosa orgia.

Ficamos saciados,
mudos, estáticos
sonhos realizados
transmudados, fossilizados
na viagem dos nossos corpos
ao prazer que nos enlouquece.

Em fim,neste mundo místico
onde cores e aromas se fundem
entre sedução e magia
onde dança e musica se completam
nossos corpos se mesclam
nos odores do gozo.

Fazemos a entrega dos corações
levando-nos a cálida embriaguez
de nossos pecados incontidos
soltos na brisa leve do anoitecer
florindo e sorrindo ao doce
encontro do amanhecer.

Um novo dia,uma nova noite só
para nos dois e o amor...nada mais!

(Vitoria.E.Santo 05/05/2007)


(Arneyde T. Marcheschi)


voltar última atualização: 26/11/2009
14626 visitas desde 01/07/2005

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente