A Garganta da Serpente

Armando Sousa

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Carnaval

Deixei o coração dançar, lá no peito palpitante
Amava alegrar este dia, sambando no Carnaval
Tornou-se a praia em folguedo num instante
Corpos lindos de mulheres em figura de animal

Havia cheiro de alegria, e o sabor da cachaça
A loucura do samba procura viver neste dia
Amarrando a tristeza, que a pobreza amordaça
Esquecendo do pudor para abraçar a alegria

Dizem que a mulher é tinta
Mulher não é tinta não
Com alegria ela tudo pinta
Esfola o maior marmanjão

Dizem que o Carnaval é vida
Vem pra rua samba então
Deixa a tristeza perdida
Vamos sambar meu irmão

Dizem que a mulher é tinta
Mulher não é tinta não
Com alegria ela tudo pinta
Esfola o maior marmanjão


(Armando Sousa)


voltar última atualização: 08/03/2011
23706 visitas desde 01/07/2005

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente