A Garganta da Serpente

António Bizarro

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

CENTÍPODE

O meu corpo está
envolvido por uma carapaça
dura que me protege
dos predadores, mas que
também o comprime
cada vez mais à medida
que vou crescendo;
as dores são terríveis;
uma nova pele começa a
crescer sob a minha
armadura, e fico pronto
a deslizar para fora
dela;o processo em si é
muito lento e doloroso,
é como dar à luz a
mim próprio; impulsiono-me
para fora, contorcendo
violentamente o meu
corpo em toda a sua
extensão; por fim, exausto e
faminto, a minha velha
pele serve-me de sustento
no regime de fome
do deserto; a minha nova
pele é macia e flexível,
e durante uns tempos sou o
ser mais vulnerável do
mundo; mas em breve
tornar-se-á novamente uma
carapaça inexpugnável;
e o meu veneno
será ainda mais fatal...


(António Bizarro)


voltar última atualização: 13/04/2006
9851 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente