A Garganta da Serpente

André Rondinelli

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

MÁQUINA E PENSAMENTO

Depois de muito que penso
Agora venço esta barreira
De ser máquina e pensamento

O tempo me busca
Para um repouso
Ocaso

Que me intervém num parecer logo
E tão lógico me parece
Que esta estória se repete
Num círculo vicioso
Num círculo vicioso

Muitas vezes sou carne
Outras muitas sou mente

E esta força me arrasta
Durante dias e meses
Na mesma pessoa (humana)
Que sou eu duas vezes
Que sou eu duas vezes


(André Rondinelli)


voltar última atualização: 10/06/2008
7783 visitas desde 04/01/2008

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente