A Garganta da Serpente

Andityas Soares de Moura

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

SISTEMAS : ORGANDI

Para onde ó verbo,
desterrado canoeiro, teu
cajado fez-se apenas luz,
te repôs à umidade
das línguas ?

Abrevio teus seios
no descuido de um
                        ponto
                        vermelho

Borboletear por cada
escuridão :

folhas tremem
suplícios
finos
fios
de algodão

ovos gigantescos
explodem entre as
     nuvens

mar se cala

súbito

(Poemas do livro "Lentus in Umbra")


(Andityas Soares de Moura)


voltar última atualização: 02/09/2010
12015 visitas desde 01/07/2005
Que tal comprar um livro de Andityas Soares de Moura?


  • Auroras Consurgem

  • Fomeforte

  • Oroboro


Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente