A Garganta da Serpente

Antônio Carlos Tórtoro

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

TEMPOVÍRUS

Vírus emergentes
deixando as florestas
e assustando a gente.
Marburg, Ebola, Sabiá
e quem poderá imaginar
qual o próximo que virá ?

Vírus insistentes
deixando animais,
dizimando gente.
HIV, Machupo, Lassa.
Não adianta vacinar
doença , dor e desgraça.

Vírus combatentes
da natureza radical
matando a gente.
Hantavírus, Dengue, Guanarito.
Até quando poderemos suportar
a febre, e o olhar sangrento , aflito !!!

Vírus indecente
é o próprio tempo
envelhecendo a gente.
Ódios, desamores, decepções,
horrores da vida a devastar
esperanças, sonhos e ilusões...


(Antônio Carlos Tórtoro)


voltar última atualização: 07/08/2007
11716 visitas desde 01/07/2005

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente