A Garganta da Serpente

Ana Carolina dos Reis

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

RENDER-SE À VELOCIDADE

O que sinto por ti
Permanece à altura do amor
Tudo que sei
É que te amo, te quero, te espero
Seja lá com for
Amor adormecido
Guardado há anos
E à primeira vista se revelou
O único que em mim
Uma catarse provocou
Ensina-me a viver
Ensina-me a morrer
Ensina-me a reviver
Foi uma emoção enorme te ver
Agora vivo em partes
E a tua existência
Continua impregnada em minha alma.


(Ana Carolina dos Reis)


voltar última atualização: 13/09/2006
12632 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente