A Garganta da Serpente

Ana Carolina dos Reis

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

ANEXO

O teu amor se fez em mim
Como pétalas em meu travesseiro
Como lágrimas reluzentes de encontro aos meus olhos
Como certeza do coração
Como fortaleza
Como sedução
Do metal mais nobre
A mais pura canção
Te querer e viver sempre ao teu lado
Pra dividir o luar do sertão
Suas idéias
Tua arte
Minha segurança
Faz a minha parte
Não te esqueci
Te esquecer, por quê?
Se a noite é dia em nossas vidas
E o que resta
É a lua que antes se apresentava como festa
E às vezes se transforma como breves despedidas.


(Ana Carolina dos Reis)


voltar última atualização: 13/09/2006
12633 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente