A Garganta da Serpente

Ana Carolina dos Reis

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

INFINITO

Teus cabelos são espaços no ar
Tuas mãos, intervalo interestelar
Tua pele, o véu que enobrece a pluma
Teus olhos são os perigos
mais atraentes e dominantes do amor
Tua boca, fonte de todos os desejos
Teu corpo é a estrada sinuosa das noites de verão
Teu sorriso me faz perder o tino
Invade a minha razão
Então toda a suavidade é perspicaz
Toda beleza se reanima
Tua alma...
A tua alma é água que corre
De encontro a nascente
É luz do fogo
É sol reluzente
É lua vermelha
É tudo o que eu disser pra você
No momento exato não cronometrado
É vontade de viver.


(Ana Carolina dos Reis)


voltar última atualização: 13/09/2006
12627 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente