A Garganta da Serpente

Alê Quites

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Pecar pelo excesso

Excesso

Quis talvez o amor,
Hora vida, hora dor
Suor, sorriso ou carinho
Cansaço no rosto
Vida assim, vida agora, vinda da felicidade

Quis pecar
Escolheu o excesso
Não suporta a falta
Pra pecar então,
Basta abrir o coração
Saboreando o prazer
Não pecando via mau

Quis fazer muita coisa
Levando no peito o medo
Na casca cicatriz
Vida por um triz,
Triste, mas com final feliz.

Excesso

Quis compor um poema
Livrar-se de vazio
Talvez pensar no nada
Para poder escrever muito

Achar um verso
Entre tantas palavras conhecidas
Tantos finais guardados,
Para tantos começos ocultados

Tomar uma inspiração emprestada
Ou ouvir uma música cantada
Vida sua, vida minha ou vida do próximo
Conduzir ao ócio, osso ou dorso
Meter o nariz
Talvez ser atriz


(Alê Quites)


voltar última atualização: 11/03/2008
6938 visitas desde 01/06/2007

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente