A Garganta da Serpente

Agmael Lima

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

ÚLTIMO EXÍLIO

Acabo de construir
Mais um castelo de areia
E agora tenho que transformá-lo
No meu último exílio.

Terei que vagar nas sombras
Aos uivos bígamos da deusa fera
E mergulhar no podre lamaçal
Do seu negro calabouço.

Agora exilado à ela
Eternamente habitarei
Seu ofídico abrigo.

Beijarei seu crepúsculo
Sem lembrar-me do enterro
De minha última aurora.

(06/11/2006)


(Agmael Lima)


voltar última atualização: 01/03/2008
11793 visitas desde 15/05/2006

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente