A Garganta da Serpente

Aglaya

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

IMPETUOSA GERAÇÃO

Nascida no vale da sombra da morte
Sem nome, sem guia e salvação
Por entre as quimeras do desejo,
É a esperança de todos que se foram.

Milagrosa geração esta
Que recebe, de todos os lados, torpedos.
Impávido colosso, por entre as trevas,
O ilusório num conto infantil
De uma inocência pós-meridiana.

Veio pregar o amor em toda sua plenitude
E apresentar um futuro de paz e alegria!

Pobre mocidade melíflua,
Dona de toda afabilidade,
Crucificada nos cravos da ganância,
Alicerce de todas as esperanças,
Ganha com sorte uma gota de puro deleite
Mas sempre obrigada pelo insípido mundo
A beber o fel da dúvida.

Somente dela virá o que sempre se almejou
Deusa impassível, chegará a sua vez!

Palmas à diáfana flor-do-campo
Frutos da Geração Coca-Cola
Feitos em Geração Cocaína.


(Aglaya)


voltar última atualização: 16/02/2004
3671 visitas desde 01/07/2005

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente