A Garganta da Serpente

Aecio Kauffmann

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Norah

Foi numa tarde,
um fim de tarde
e era setembro....
E eu não sei
se tu recordas
do que hoje
ainda me lembro.

Vinhas tão linda
em verde-azul
toda envolvida,
que a tarde
embevecida,
em teu encanto,
quis ficar

tal como eu
inebriada,
e esquecida
de que a noite,
de mansinho,
já queria o seu lugar

E o sol curioso
se quedou, lá no horizonte,
pacencioso por instantes,
só p´ra ver um sonho andar.

Vinhas e eu ia..
Eu chegava e tu saías,
pois ainda não me vias
e eu buscava te encontrar.

Faz tanto tempo, meu amor!,
mas bem me lembro
que havia um "que" medroso
de mostrar sem se mostrar

Sem crer, mas vendo
e ainda que vendo eu não podia
acreditar que me sorrias
na ternura de flertar,

que ainda encontro,
quando hoje distraída,
ternamente enlanguescida,
tu me pões em teu olhar.


(Aecio Kauffmann)


voltar última atualização: 14/02/2009
28260 visitas desde 26/12/2007
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente