A Garganta da Serpente

Aecio Kauffmann

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

TAPERA

Esta carcaça
tão envelhecida.
Abrigo tosco
de imperfeita alma
- encarquilhada,
lerda e emurchecida -
que não encontra
nem concede calma,

É qual tapera
de sonho alentado;
de juvenis aspirações...
de amores....
É traste triste...
É mango abandonado.
É poncho velho,
roto e já sem cores...

Pobre de uso,
que outra serventia
já mais não dá...
apenas que lembranças
em cada dobra,
a se abrigar, do pano...

É xiru-velho,
que a única ousadia
é recordar o pampa
e as andanças
a esperar seu último minuano.


(Aecio Kauffmann)


voltar última atualização: 14/02/2009
28257 visitas desde 26/12/2007
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente