A Garganta da Serpente

Aecio Kauffmann

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Ceres

Do que te diga,
em vão, tenho buscado
p'ra te dizer do meu amor
, querida !,
e, procurando,
não tenho encontrado
senão saudades
em versos contida .

Saudade ingrata que, em si ,
não tem cura
e é mais que amor,
que co'outro amor se esquece
e, após a morte,
nem sempre perdura
e, mesmo em vida,
quanta vez fenece.

Saudade ingrata..
que se não desliga
ao coração ,
seguindo onde ele siga..
mesmo ao teu lado
ela inda persiste.

E é quase, o! Deus ,
permite que eu o diga
maior que a fé
que em meu peito se abriga
na Tua Lei
que a tudo atende e assiste.


(Aecio Kauffmann)


voltar última atualização: 14/02/2009
28202 visitas desde 26/12/2007
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente