A Garganta da Serpente

Adriano Coutinho

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Faz-se necessária tua presença nívea
Como se faz necessária a vida.
Como um beijo ao que é bom no verso,
Na prosa profunda de meus dias.
E eu sou um ser em ti:
Ser perfeito em teu enlace
Ou em tua face a sorrir.
Tua alma, luz a cingir,
Faz-me ter o bom dos dias,
E a ver a luz das noites;
Não temer a fria alma .
Ouso estar em teu caminho,
Sob teus olhos mudos,
Sob tua boca que rir,
Sob ti.
Mas me perco no vento e no tempo,
Me faço somente eu.
E sem toques afoitos
Ou beijos em teu gosto,
Mas gosto de pensar em teu gosto
E de me sentir perdido,
E de pensar no sabor de tua boca.
Não sei se louca ou se calma,
Sei de ti em mim
Num sonho vivido...
Numa chance de te fazer feliz.


(Adriano Coutinho)


voltar última atualização: 23/04/2004
7638 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente