A Garganta da Serpente

Adriano Menezes

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

CÓDIGO MORSE

no seu silêncio abstêmio
sob o sino da partida
dentro do tempo e atrás
do telégrafo, o pai.
ferroviário de soslaios
e linhas multiespécies,
decifro 10 anos de morte
por seu morse


(Adriano Menezes)


voltar última atualização: 05/01/2010
13917 visitas desde 01/07/2005

Poemas deste autor:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente