A Garganta da Serpente

Adriana Pavani

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

DO CAOS À POESIA

Dentro de mim habita o caos,
Ora sou esperança,
Ora sou fantasia,
Há momentos que sou apenas tristeza
Há outros que sou quase euforia.
Às vezes sou tudo.
Às vezes, me sinto um nada:
apenas um leve suspiro de ressentida melancolia.
Mas renasço em cada palavra,
quando do caos eu me gero
E resplandeço em poesia!


(Adriana Pavani)


voltar última atualização: 03/05/2010
8133 visitas desde 01/03/2008

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente