A Garganta da Serpente

Adhemar Molon

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

NAS ALTURAS

QUANDO TE CONHECI
ELEVEI-TE TÃO ALTO
EM TANTOS DEGRAUS
QUE PARA TE VER
PRECISEI CRESCER
E DE SALTO EM SALTO
SUBIR SEMPRE MAIS
ENQUANTO EU SUBIA
OUTRO DEGRAU SURGIA
SÓ EM DOCES INSTANTES
OUVINDO STRAUSS
EM DANÚBIO ADORMECIA

ENALTECI-TE TANTO
QUE PRA MEU ESPANTO
QUANTO MAIS CRESCIAS
MAIS ME DIMINUIAS
E ENQUANTO EU SUBIA
MAIS TE AFASTAVAS
ENTÃO EU DESCANSAVA
NOS PATAMARES
SONHANDO NOS ARES
E UM POUCO SOTURNO
OUVIA 'NOTURNO'
NAQUELES ANDARES

QUANTO MAIS ALTO IA
MAIS ME PERDIA
NAQUELA AGONIA
NAQUELA PAIXÃO
E, NAQUELAS ALTURAS
AUMENTAVA AS AGRURAS
DO MEU CORAÇÃO
TU SEMPRE ALHEIA
SEM OLHAR PRA BAIXO
ONDE AGORA ME ACHO
CONTINUAS IMPASSÍVEL
NO TEU TOPO INATINGÍVEL...


(Adhemar Molon)


voltar última atualização: 01/05/2006
9937 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente