A Garganta da Serpente

Adhemar Molon

  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Lições de vida

Um carrapato agarrou-se
ao meu umbigo
fazendo dali seu abrigo
Mas felizmente danou-se
por não encontrar alimento
pois a minha anemia
levou-o a agonia
e de fome ele morreu
com um grande sofrimento
o que me deu alegria

Depois uma mosca azulada
parecendo muito animada
se assentando em meu nariz
com seu zum- zum esquisito
deixou-me assim muito aflito
ser seu hospedeiro não quis
Dei-lhe um tapa tão forte
provocando-lhe a morte
que me livrou da maldita
sem me importar sua desdita

Uma barata nojenta
tentou subir no meu pé
pouco importando o chulé
aceitou como água benta
a cusparada que lhe dei
e balançou suas antenas
assim como um desafio
desafio que aceitei
e sem lhe sentir pena
com os pés a esmaguei

Uma linda lagartixa
subia pelas paredes
ligeira, sem preguiça
procurando não sei que
E fiquei admirando
seu caminhar olhando
seu deslizar pelo teto
enfrentando a gravidade
dei-lhe então o meu afeto
por tão bela atividade

Então uma abelha qualquer
assentou em minha orelha
picou-me aquela fedelha
daquele seu jeito cruel
sem nenhum respeito
por isso como bem feito
com a fúria do meu fel
esqueceu-se minha mente
que quase constantemente
eu saboreava seu mel

Foi assim que me dei conta
das coisas que nos espantam
dos ódios e dos afetos
E com tolerância senti
e com muita alegria vi
a nos rodear os insetos
a me fazer entender
que nos fazem bem e mal
o doce, o amargo e o sal
das pessoas que nos cercam...


(Adhemar Molon)


voltar última atualização: 01/05/2006
9922 visitas desde 01/07/2005
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente