A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

É Agosto
E há gosto
De você
Em mim

É Agosto
E eu gosto
De você assim

AGOSTO

É Agosto
E haja gosto
Pra você em mim

É Agosto
Se arrasta no meu rosto
Nem se afasta e estás posto
No meu colo enfim

É Agosto
Quem sabe
Quem dera
És pálida quimera
Pra Setembro, sem fim


(Adriana Alves)


voltar última atualização: 05/01/2010
30076 visitas desde 19/12/2007

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente