A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O QUE SOU

Palavras inconsequentes
sons estridentes
e eu sou a raiva
por minutos
mas sou...

Atos indiferentes
cenas mornas
pensamentos tortos
eu sou ciumes
por instantes
mas sou...

Adeus, saudades, distância
palavras curtas pra
sentimentos longos
eu sou a dor
que se prolonga
mas sou...

Tristeza, ódio, decepção
é oco o coração
eu sou emoção
mas sou

Há tantos fatos, atos, lados
eu sou tudo e tanto o que já passou
que restou algo óbvio
e o que ficou
é que me dá forças pra continuar
a sentir e vivenciar

só sei
que já nem sei mais o que sentir
porque realmente
o que me resta é o que sou
indefinidamente
sou algo simples
SOU AMOR


(Adriana Alves)


voltar última atualização: 05/01/2010
30077 visitas desde 19/12/2007

Poemas desta autora:

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente