A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Réquiem em dia de fina chuva

(Zeppa Tudisco)

Em um dia triste, marcado por uma fina chuva, Borges Amadeus Nicolaescus parte para uma nova vida, em uma outra esfera, em uma outra frequência.

Exímio sedutor e eficaz amante, Borges construíra riqueza no ramo da siderurgia, abastecendo além de todo mercado interno, todo mercado comum europeu e 90% das montadoras de automóveis da Ásia. Aos 63 anos, deixa uma fortuna estimada em oito bilhões de dólares e seis filhos de três casamentos .

Naquele dia triste, a beleza e a juventude de suas duas últimas mulheres, confundia-se com a beleza e juventude de suas duas filhas gêmeas do segundo casamento, todas com o rosto envolto em véu e atrás de óculos escuros. A primeira mulher de Borges falecera misteriosamente em uma viagem pela Liguria. Dizem que enquanto o marido dormia, ela saíra para comprar Gin e nunca mais aparecera. Segundo a polícia italiana, um corpo encontrado depois de dois meses entre as pedras na base de um precipício, com estilhaços de garrafa ao lado, era o da mulher. Mas o assunto também morrera ali. Foi com esta mulher, neste primeiro casamento, que nasceu na região de Bordeaux, o agora herdeiro de toda uma fortuna e uma vida, Amadeus Nicolaescus Filho, 42 anos e recém casado com sua prima Viridiana, 20 anos mais jovem que ele. Formam um casal com muitos caprichos, entre eles, colecionar óculos escuros, pequenas estatuetas em cristal de Murano e pequenos delitos de infidelidade testemunhada.

Podia-se observar que em meio a luxúria espalhada por aquele campo santo, o número de seguranças era bem maior que o número de parentes, amigos, imprensa e curiosos. Todos os seguranças usavam ternos pretos e óculos escuros, entre eles um que chegava atrasado, em uma poderosa Mercedes E-Class 430 cinza escuro, graças a mais uma rápida e pecadora parada, dessa vez durante o trajeto do cortejo. Não era à toa que a segunda mulher de Borges, Nice, uma linda ruiva de 33 anos, e com quem o empresário tinha dois filhos e deliciosos encontros sadomasoquistas aos finais de tardes, escalava sempre o mesmo segurança. Ao descer do carro imediatamente atrai o olhar de duas amigas de Viridiana que estão postadas ao lado caixão e que através das lentes escuras do ocre de seus óculos, olham para ele lentamente de cima em baixo. Ele abre suavemente a porta do carro para a mulher, e depois, segurando em uma das mãos um guarda-chuva da cor da Mercedes, oferece a outra elegantemente para ela, que amparada por aquelas falanges tão conhecidas, salta do carro ajeitando os óculos e simulando um pequeno choro.

Anna, a última mulher de Borges e atual viúva, vira-se também em direção à aquela cena e revela no vidro do carro o reflexo de seus lábios carmim a tremerem sutilmente, denunciando que ela tinha consciência de todos aqueles vespertinos encontros, e também que agora estes mesmos encontros haviam chegado definitivamente ao fim.

Enquanto a leve chuva continua caindo, Anna ajeita os óculos em sua face e ordena com um leve gesto de cabeça a descida do caixão.

E finalmente, naquela tarde, Borges pode descansar em paz.

  • 2853 visitas desde 15/07/2005
menu
Lista dos 2201 contos em ordem alfabética por:
Prenome do autor:
Título do conto:

Últimos contos inseridos:
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br