A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

A Interminável busca do Amor

(Teresa Dávila Malta)

A noite invade a cidade como cães a procura da lua...em instante, em momentos, sinto você sussurrar em meus ouvidos é como se tudo tornasse pequeno, dentro de mim e você!

As estrelas de nosso eterno céu é mais profunda e silenciosa...e como num contos de fadas... você pega-me pelos os braços e beija-me delicadamente, seus beijos dão -me o mais puro prazer, que só uma mulher como eu sei. E nesses sonhos de verão brincamos na água, Molhamos nossos indesejáveis corpos molhados... e na inocência de meu ser só desejo te ter nesse belo sonho azul!

E pela vaga imaginação do meu eu, você me da asas para voar além das cores infinitas...Alem dos desertos mais ousados...E transparente!

E o meu sorriso sereno é tua dádiva escolhida...Entre campos e montanhas... Entre toda beleza existencial da terra. E nessa busca interminável, incalculável, transito em meu quarto ardente,que sufoca, e afaga meu jeito. E você que gosta de me observar de longe...pensa...e faz com que toda energia seja liberada...em rápidos segundos....

E quando o tédio nos consumir estarei na cozinha fazendo brigado, e você talvez esteja vendo tv, me expiando de vez enquando para ver se não quebro algo...e os dias nosso serão perfeitos..... mesmo que eu acorde com aquela imensa cólica e fique de tpm o dia todo; talvez você tente me fazer rir nesse período ou me contar historia de amor ao pé do ouvido até que eu dorrmi.

E nesse longos dias iremos viajar, para percebemos a beleza de nossa juventude...e quem sabe enquanto o céu nos tenta mostra seus mistérios, nois dois estaremos entrelaçados em nossos propios mistério... Depois de nossas belas ferias voltamos a turbulenta cidade Londres, e de mancinho voltamos ser homem e mulher. E a cidade que nos traz tantas suspresas...A noite em um jantar, depois de três anos juntos de descobertas você que só com aquele jeitinho seu sabe me conquistar pedi-me em casamento! E como numa bela historia de romance, eu a mocinha de felicidade digo sim... E como nos passar dos anos,quando a velhice nos pegar,estaremos nois dois a patinar, como dois jovem namorados em busca só de nos!

E como a vida é longa agente nunca se esquece sobre algo que nos marca, eu da menina que sempre dorme com o ursinho Ted,e você das belas noites que me fez feliz!

  • 2163 visitas desde 4/07/2005
menu
Lista dos 2201 contos em ordem alfabética por:
Prenome do autor:
Título do conto:

Últimos contos inseridos:
Copyright © 1999-2017 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com