A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Ascensão às Avessas

(Pedro Paulo Garcia)

Adão andava abaçanado, airoso, até aonde, achava, ater-se-ia a alcunhar animais, alimentando-se, ainda. Aquilo andava arboreamente amainado; até Abel andava alegre. Adão amava a anterior Amélia, a autêntica. Amavam-se ainda afetuosamente. Apartada a angústia, a aflição, as ânsias... Amor, apenas. Arfavam amassando arbustos; agarrados, acolhidos, acalentados. Amanhecia, amavam, anoitecia, amavam. Alhures, aquele amor acometia-os: alogamia abençoada. "Ah, amada, apresente-se, aqui abrolhada... - ajuizava Adão - Ah! Anda ali."

Andava ainda aquele animal astuto. A alta árvore assombreando-os. Acontecia algo ali. Adão aproximou-se: "Amora? Aumentada. Abacate? Arroxeado. Açaí? Ah, Aquela! Animal abonador" - avaliou. Alcançou-os. Avistando-o, a Amélia anterior articulou: "Adão, amado, almeja alimentar-se? Aquele animal asseverou-nos avanços assombrosos..." "Apreciaria, amada. Antes, aproxime-se. Abracemos-nos. Ah... Agora."

Alimentados, assaltou-lhes a angustiante ascensão às avessas. Ali, a amargura acometeu-lhes. Andrajos arranjados: acometeu-os assaz acanhamento. Aparecia-lhes a aventura amarga: arranjar alimento. Ater-se-iam ao acre absinto, a apodrecidas alcachofras. Amaldiçoados, assemelhar-se-iam aos animais. Ah... Aquele? Arguto animal? Antes asqueroso antagonista.

  • 2124 visitas desde 4/02/2009
menu
Lista dos 2201 contos em ordem alfabética por:
Prenome do autor:
Título do conto:

Últimos contos inseridos:
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br