A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Você pensa que está só?

(Luiz Lyrio)

Você pensa que porque todos saíram não existe ninguém com você? Ledo engano!... Você tem companhia. Muitos seres convivem com você neste momento e te observam. E você pode senti-los. Pode até vê-los!... Para isto, basta que você saia do relaxamento em que se encontra e aguce seus sentidos.

A verdade é que, quando julgamos que estamos sós, nossos sentidos entram em posição de repouso. Quando nos sentimos protegidos em nossa casa ou no nosso trabalho após o expediente, achamos que nossos inimigos não podem mais nos atacar e baixamos a guarda. Assim, perdemos também a percepção do outro. E, apesar de seres aparentemente invisíveis, inodoros, silenciosos e incorpóreos flutuarem à nossa volta, observando tudo que fazemos, pensamos e sentimos, não percebemos estas presenças porque nossos olhos, nossos ouvidos, nosso olfato e nosso tato estão em repouso, diante da nossa ingênua convicção de que estamos sós e seguros.

Não. Ao contrário do que você pensa, exatamente neste momento, você não está só e em segurança. À sua volta gravitam seres que, por algum motivo, estão aqui na Terra nos observando e agindo contra e a nosso favor. Como? Você duvida do que estou dizendo? Você tem certeza que está absolutamente só? Então, aceite meu desafio! Aguce seus sentidos. Mantenha seus olhos em alerta! Viu? Não, não foi impressão sua! Realmente, um vulto passou por ali. Bem rápido! Eles são assim, rápidos! Também, eles não têm mais que carregar o peso de um corpo físico... Sim! Com certeza, foi um deles! E aquilo que você está olhando agora não é uma simples mancha no vidro da janela. É outro deles te observando. E, se você apagar a luz, verá muitos outros. Mas não! Não apague a luz agora! Se você apagar a luz, como vai continuar lendo? E é muito importante e instrutivo que você continue lendo! É muito importante que você aprenda a vê-los, a perceber a presença deles. Com eles podendo te observar à vontade sem serem vistos e sentidos, eles sempre estarão em vantagem em relação a você. Se não acreditar neles e não souber como se defender, você sempre estará à mercê deles.

Agora, aguce seus ouvidos. Ouviu este barulho? Não. Não foi o vizinho. Foi um deles que esbarrou em alguma coisa e deixou-a cair, talvez no chão do banheiro. Não! Não vá ao banheiro! É isso que ele quer. Você tem que aprender a senti-los, mas não deve nunca fazer o que eles querem. Como? Você me pergunta se eles podem ser maus e lhe causar algum dano? Claro! Eles são como nós. Entre eles, existe gente boa e gente ruim. E alguns deles podem ser muito cruéis!... Ouviu de novo? Claro que não é um simples estalido do móvel novo da sala! É um deles tentando chamar sua atenção. Mas não dê atenção a ele. Ele só quer lhe assustar.

Ative agora seu tato. Sentiu o toque? Não. Não foi um ventinho. Com certeza, é um deles te tocando. Alguns deles são muito carentes. Outros são carinhosos. Agora, outros só fazem isto para nos assustar. Sentiu esta mão encostada nas suas costas? Feche os olhos e sinta-a. Pode ser a mão de alguém que se foi e ainda gosta muito de você... É. Pode ser aquela pessoa. Ah, quando se deitar, tome cuidado com seus pés. Alguns deles se escondem debaixo de nossas camas e têm como diversão predileta puxar nossos pés. São puxões leves, incapazes de nos jogar no chão ou nos tirar do lugar. Mas algumas pessoas quase morreram de susto com essa brincadeira de mau gosto, já que estes seres moleques que gostam de puxar nossos pés geralmente fazem isso quando, desprevenidos e relaxados, estamos entrando em estado de sonolência...

Ponha seu olfato para funcionar. Sentiu este perfume? Não. Este não é um perfume que veio da rua. Você está a pelo menos cem metros da rua! Como um perfume de uma pessoa que... Nossa, que perfume parecido com o daquela flor usada nos enterros! Será um aviso? Eu, heim? Cruz credo!

E agora, depois que você apurou bem seus sentidos e experimentou todas estas sensações, você ainda continua achando que está só? Ou você acredita que está em companhia de sei lá quantos seres aparentemente invisíveis, inodoros, silenciosos e incorpóreos?

Se você se convenceu que tem companhia, você tem três alternativas. Ou chama alguém bem vivo e real para ficar com você, já que estes seres não gostam de se exibir para mais de uma pessoa, ou finge ignorar as criaturas do além e continua a ler seu livro como se elas não existissem, ou as enfrenta, apagando as luzes, mantendo aguçados todos os seus sentidos, principalmente mantendo seus olhos bem abertos, e vendo e sentindo estes seres da outra dimensão em toda a sua plenitude.

Agora, se você optar pela terceira alternativa e não gostar do que ver ou amanhecer o dia no leito de uma clínica psiquiátrica, não venha me culpar nem me processar por danos morais. A escolha foi sua!...



E falando de novo nos seres do além, sentiu um deles penetrando em você e arrepiando seu corpo inteiro?

  • 2459 visitas desde 22/06/2007
menu
Lista dos 2201 contos em ordem alfabética por:
Prenome do autor:
Título do conto:

Últimos contos inseridos:
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br