A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Estrela

(Helius Paulus)

Ontem a noite, parei e fiquei olhando o céu nublado e sem Luz .

Fiquei hipnotizado com a imensidão do espaço, quase que interminável beleza me levou a sonhar e a sentir arrepios incontroláveis.

Mas, de repente surgiu no céu uma estrela, brilhando como se fosse um farol em dia de tempestade, iluminando a minha vida,

o meu ser e a minha alma.

Senti-me estranho, estava não sei faltando algo, um querer em minha vida,continuei a olhar aquela estrela, quase que abismado com sua beleza e parei para refletir.

Baixei minha cabeça meu coração mais que depressa se apossou do meu corpo, da minha mente e também da minha vida.

Me levou para longe, onde eu me sentia parado no tempo, congelado, inerte sem se mover.

Era você, que havia tomado conta do meu coração, foi ai que numa troca de pensamentos lindos voltei a mim, e continuei a olhar aquela estrela, que agora, começava a desaparecer na penumbra daquela noite escura.

Então, uma brisa morna envolveu o meu corpo, algo queria me levar, não sei para onde.

Algo tocou a minha mão, não consegui se mover,apenas fiquei parado, o meu corpo, já não obedecia mais, apenas me concentrava

em olhar aquela estrela quase apagada no céu.

O corpo todo se arrepiou,minhas pernas tremeram, comecei a suar frio, pensei que iria desmaiar, já não podia conter e esconder o medo indescritível que me assolava, senti vontade de correr, mas não consegui, o corpo não se movia, não obedecia, apenas o coração sabia o que queria, " queria você ".

Foi aí que ouvi uma voz que me pareceu bem longe e que me dizia:

- "Não tenhas medo, aquela estrela que tanto olhas e apenas todo Amor que se concentra em tí e em teu coração."

Acabando de ouvir, tudo aquilo penetrou em meus ouvidos e foi se alojar bem fundo no meu coração Tocando a minha Alma.

Sendo assim tomei coragem e ao me virar sem medo de olhar,fiquei surpreso ao me deparar com você.

Virei-me devagar, abracei-a, então olhei para o céu, e vi que aquela estrela já não brilhava mais.

Somente o nosso amor brilhava assim, na escuridão do espaço sem fim....

  • 2025 visitas desde 9/08/2010
menu
Lista dos 2201 contos em ordem alfabética por:
Prenome do autor:
Título do conto:

Últimos contos inseridos:
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br