A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O grande esquecido

(Andrios S. Moreira)

É com imenso sentimento de tristeza e medo que escrevo esse relato sobre o dia de hoje, o dia que toda a humanidade esperava desde que o apóstolo João escreveu suas previsões sobre o apocalipse. Sim, sem dúvida nenhuma, esse é um dia apocalíptico. Talvez o homem não tenha conseguido interpretar corretamente as escrituras bíblicas, pois nada do que constava nas escrituras é o que está acontecendo hoje... O dia do juízo final.

Será que a raça humana foi tão cruel para si mesma e para os outros seres que habitam esse planeta, a ponto de receber, de surpresa, essa terrível revelação? Ou talvez os nossos "deuses" eram e sempre foram assim? O que mais choca agora, nesse dia desastroso, não são os significados vitais dessas perguntas, mas a tenebrosa e aterradora revelação que todos os homens, mulheres e crianças (acho que essas últimas não terão maiores problemas, devido a idade) viram, ouviram e perplexaram-se diante de....Deus?!

Realmente, não consigo me expressar perfeita e logicamente nesse relato (talvez uns dos últimos da civilização humana), pois eu sou um dos que mais sofrem a cerca desses fatos. Eu sou padre. Desde que me formei em teologia, sempre preguei, argumentei, agi, aconselhei e ajudei as pessoas que a mim recorriam socorro com as palavras confortantes do livro dos apóstolos, ou novo testamento, mas hoje percebo que nada valeu a pena, pois a cada minuto que passa, milhares de pessoas suicidam-se individualmente ou em massa, pois todas as teorias e bases científicas e espirituais que a humanidade adquiriu nesses milhões de anos de aprendizagem, foram totalmente aniquiladas, e com isso se foram os dogmas e conceitos pessoais dessa pobre gente, acarretando em loucura, medo, guerra e morte. Acho que nem o papa sabia desse dia, ou se sabia, fez uma crueldade de não revelar a todos com tempo. Talvez a igreja tenha alterado várias partes da bíblia - inclusive o apocalipse do apóstolo João - para retirar as partes que profetizavam tais acontecimentos malebólgicos. Realmente não sei, e tenho certeza que não terei tempo de descobrir. Pois o tempo é escasso desde o amanhecer de hoje, e a humanidade não saberá se haverá um dia de amanhã, pois está com as horas contadas...

Desde que comecei a escrever essa carta, já vi da janela de meus aposentos mais de 50 acidentes de trânsito e perdi a conta de quantos morreram só na frente da igreja. As pessoas tentam fugir e se esconder e nessas fúteis tentativas acabam por desfalecer, ou vitimar-se em acidentes causando diversas mortes. Não os culpo, pois ainda que as nações tivessem declarado uma 3ª guerra mundial, não causaria um impacto tão terrível quanto os acontecimentos desse dia maldito.

Não oro. Apesar de todas essas mortes eu não ouso rezar, pelo menos não tenho mais por que fazer isso, pois não há mais "Deus" para ouvir nossas preces no céu, porque ele está aqui, nesse mundo e embora ainda não consiga acreditar totalmente, ele foi o causador de todo esse caos que está torturando a raça humana...
Poderia escrever aqui que ele é o demônio mentindo ser o nosso Deus, mas há uma coisa dentro de mim e de todos acho eu, um sentimento de ira, que pulsa dizendo o contrário. Ele é e sempre foi o Deus a quem rezamos , imploramos e tememos ao longo desses quatro milênios. Mas o erro profundo nas escrituras "sagradas" foi, sem dúvida nenhuma, a afirmação que nós somos feitos imagem e semelhança dele. Não é verdade! Pelo menos, não fisicamente. Pois a entidade que está na terra desde o alvorecer de hoje e que pode ser vista de qualquer lugar do mundo, devido as suas dimensões impossíveis de serem medidas, é tão grotesca que nenhum pesadelo humano poderia materializar em uma mente atormentada, e por mais horrenda que seja sua forma, ele é o criador do universo. Ele é o elaborador das leis cósmicas. Ele arquitetou as estrelas. Ele nos modelou e nos deu a vida. Sim! E agora vem com sua ira para nos julgar. Mas jamais um homem poderia esperar tal imagem do seu Deus. E onde está o Cristo? Onde ele se encaixa nessa revelação? A triste resposta, quero relatar a um possível leitor desse relato, é que o Cristo nunca existiu. Ele foi apenas uma forma convicta da igreja de elaborar uma imagem perfeita e uma história menos sombria dos escritos bíblicos originais.

E pensar que todos esses anos dedicados a passar mensagens e exemplos de um homem que nunca existiu e pregar a imagem do glorioso "Deus" como ultrapassando os limites da perfeição. Sem dúvida, as escrituras estavam certas em um aspecto: Que nenhum humano humano poderia ver a verdadeira face de Deus, pois não resistiria as dolorosas consequências. Nisso as escrituras estavam corretas. Pois a aterradora imagem que o poderoso apareceu aos nossos olhos não é nada amigável. Não é nada confortante, e muito menos amenizantes suas intenções. Nesse momento posso considerá-lo como o "Senhor das Moscas", pois segundo ele mesmo, nós humanos nos transformamos na maior "praga" que esse planeta conheceu. Pois somos capazes fomos capazes de dominar, escravizar, destruir, matar, mutilar e pilhar, tudo isso conscientemente, sabendo dos limites de respeito ao próximo e mesmo assim desconsiderando esses limites.

Por isso ele está aqui. Por isso ele é assim. Uma forma contorcida e inumana, totalmente contrária a todas as entidades que os povos pagãos e a civilização pós-romana obrigou-se a adorar. Sua voz é estrondosa, como se fosse pronunciada ao som de um trovão, mas que pode ser ouvido de qualquer lugar do planeta, perfeitamente, pois sua intensidade quase alcança os níveis aceitáveis de decibéis que podem ser captados pelos ouvidos humanos, e quando ele fala, eu imploro para que pare logo, pois sua voz é ensurdecedora. Sua aparência é de um todo indizível. Capaz de enlouquecer aqueles que são mais frágeis a conservação da sanidade perante situações estarrecedoras.

Vou tentar descrever aqui sua forma, mas tampouco serei muito detalhista, pois "O Grande Esquecido" (que é como pronunciarei a partir de agora) está além, muito além disso...

É de extrema importância dizer que ele não possui olhos, porque envolve-se das mais negras regiões abissais do espaço, onde a escuridão é interminável. Esse é o seu lugar segundo suas palavras terrivelmente delatoras. No lugar em que deveria ser a cabeça, há uma enorme boca com dentes pontudos e ao meu ver, afiados. Neles podem-se notar horrendas excreções babosas assim como também na sua língua descomunal, que fica o tempo inteiro apontando para o céu, fazendo movimentos bruscos que provocam os mais terríveis ventos. Não é possível enxergar a ponta da língua, pois está além da camada de ozônio, muito além de onde olhos humanos podem enxergar. Seu corpo é estranhamente contorcido e seus membros de locomoção dianteiros são maiores que os traseiros, mas ambas ostentam imensas garras na ponta de seus dedos, garras negras em forma de cunhas e no final do tronco há uma cauda de médio tamanho em proporção a Ele, mas também é capaz de devastar milhares de quilômetros ao se movimentar. Por isso o caos se instalou por toda a terra. Nesse dia apocalíptico, a humanidade descobriu que o Deus que louvara à séculos é na verdade uma criatura grotesca, que não pode ser incluída nas imagens bíblicas e nem nas mais abomináveis pinturas dos mais mórbidos artistas. Nunca ninguém havia imaginado tamanha monstruosidade, talvez seja essa a razão de ele ser assim...

Mas a mais terrível de todas as verdades, a partir de hoje, é que o "Grande Esquecido" ou Deus, não pode mais ser contestado, não pode mais ser desacreditado e não pode mais ser, principalmente, desafiado... Pois as consequências podem ser desastrosas.....

A partir de agora relatarei os acontecimentos que ocorreram desde o alvorecer até agora. Falarei de cada acontecimento que levou quase toda a humanidade à beira da loucura, ou a insanidade total.

6:00 hs. - Quando o sol despontou no horizonte, vozes ensurdecedoras como o mais alto som de trovão acordaram toda a humanidade. O detalhe é que esse alvorecer foi estranho, pois o céu avermelhou-se como sangue em todo o mundo, independente das regiões e fusos horários. Levantei imediatamente do meu leito para ver o que estava acontecendo e fui surpreendido pela imensa criatura e várias pessoas gritando e fazendo atos desordenados, como foi dito antes. Sem dúvida, um caos total. Voltei para dentro o mais rápido que pude para fugir da multidão ensandecida e continuei a ouvir aquela estridente voz.

7:00 hs. - Já haviam sido reveladas vários mistérios sobre a entidade e tomei um choque (assim como todo o mundo) quando ele disse ser o nosso Deus. Comecei a orar, só que nesse momento sua aterradora voz dizia que de nada adiantava rezar para Ele. Pois ele estava aqui, e veio para julgar. Realmente, foi uma das horas mais tristes de minha vida.

9:00 hs - Um eclipse começou a encobrir o sol na América (que coincidia com o horário do sol nascente) escurecendo ainda mais aquele tenebroso dia e intensificando a vermelhidão sanguínea do céu. Uma imagem jamais vista pelos olhos humanos e que assusta só pelos seus tons ameaçadores e sombrios. Eu não me atrevia a sair para fora, somente contemplava de minha janela toda aquela visão apocalíptica. Aquela visão mortal... E ali fiquei por algumas horas.

11:00 hs. - Mais da 4ª parte da população mundial havia morrido, segundo corajosos reportes sobreviventes em algumas partes isoladas do mundo. Ainda conseguia captar pelo rádio todas essas informações.

12:00 hs. - Toda a comida e bebida foram totalmente consumidas ou destruídas. Ninguém pode fazer uma refeição (se bem que não havia ninguém que conseguisse fazer isso diante daquela forma bestial...

14:00 hs. - O caos se instalou nas ruas, em frente a igreja, vários acidentes acontecem a cada minuto, pessoas chamando socorro, morrendo caídas ao chão, correndo desesperadas e enlouquecendo literalmente. Eu não ouso sair para fora, não há como ajudar, pois acabaria sendo engolido pelo caos proliferado na multidão. Apenas permiti que algumas famílias se instalassem no interior da igreja, mas só aquelas que tinham crianças junto.

16:00 hs. - Comecei a escrever esse relatório... Com várias pausas para.... Fumar. Encontrei um maço de cigarros jogados no chão na frente da igreja e resolvi pegar. Eu perdi minha fé e esse é o último dia da humanidade. Fumei sete até agora.

17:15 hs. - Continuo aqui, dei uma olhada na janela e o caos parece ter dado uma trégua, mas o "Grande Esquecido" ainda está no mesmo lugar, mas não há nenhuma espécie de som, só o mórbido silêncio entrecortado pelo fraco sopro da brisa quente. Torço para que Ele não volte a falar. Não há mais nada que eu possa relatar, vou esperar um pouco para ver o que acontece. Estou muito nervoso, vou fumar outro cigarro...

17:56 hs. - Uma nova (e a meu ver a última) notícia dos corajosos repórteres amadores ou profissionais e que desapareciam uma-a-um lentamente, é que mais de 75% da população mundial estava morta, e até o final do dia a raça humana estaria extinta. Deus não é nada misericordioso.

18:00 hs. - Ele começa a falar novamente, as pessoas dentro da igreja começam a chorar. Realmente ninguém sabe o que vai acontecer nos próximos segundos... Eu não consigo parar de tremer, vou procurar uma garrafa de vinho...

18:30 hs. - O sol, embora escuro pelo macabro eclipse, esta se pondo e as coisas continuam como estão. Vou dar uma olhada no pessoal que está alojado na igreja....


... Todos estão mortos, pelo jeito tentaram sair da igreja e de alguma forma foram mortos e as crianças desapareceram.

A noite caiu, eu não ligo nenhuma luz para não chamar a atenção, mas ouço vozes nas ruas e alguns fracos gemidos de pessoas feridas, mas ainda não me animo a sair para fora para ver o que está acontecendo. Somente vou olhar novamente na janela. Ao horizonte extremamente avermelhado onde o sol se pôs, vejo alguns corvos ou abutres voando. Pelo menos para eles ainda há comida...

A criatura começou a emitir um som ensurdecedor causando um tremor de terra, o que me levou a cair ao chão sendo atingido por um enorme pavor, pois pensei que a estrutura da paróquia iria desabar. Tapei meus ouvidos com os dedos, cobri a cabeça com o travesseiro na tentativa de abafar o máximo possível aquele som, tudo em vão, pois posso ouvi-la de onde quer que esteja...

O Esquecido permaneceu assim por vários minutos que pareciam intermináveis até que foi diminuindo a frequência, chegando ao silêncio total.

Novamente olhei pela janela e agora a atmosfera lá fora era infernal aos olhos de um sobrevivente, fazendo-me desesperar-se só de olhar para aquela natureza alterada.

O ar é extremamente rarefeito e sinto dificuldade em respirar, uma estranha névoa encobriu o chão da cidade e o céu mudou novamente de cor, agora num tom estranhíssimo, mas ainda era possível ver as estrelas. As árvores alteraram-se totalmente, mudando de cor e forma, tornando-se igualmente ameaçadoras. Sem dúvida, eu não estava mais no planeta terra, ou esse estava tão alterado que tornava-se ir reconhecível. Apenas a cidade, os carros destruídos, as ruas e as placas que continuam no mesmo lugar. Enfim, o que foi construído pelo homem permanecia estagnado, mas a natureza que a cercava é totalmente alienígena. Mas o mais aterrador sem dúvida nenhuma não é o visual agressor da atmosfera, mas o que se sucedeu com os corpos dos mortos caídos na rua. Será que esse é o inferno descrito por Dante? Ou até mesmo o purgatório? Por que a cena que vejo me leva a crer que eu estou em um desses dois lugares, ou algo pior.

Os mortos... Eles estão reanimando-se... E andam de um lado para outro como sonâmbulos, alguns mutilados, outros com ferimentos mais leves, mas uma terrível olheira contrastando com os olhos brancos, totalmente sem a retina e até mesmo pupila, é assustador. Acho que estão em um tipo de transe, pois não piscam, apenas mexem levemente a boca como se tentassem falar algo, mas nenhuma voz saia de suas cordas vocais. Tudo isso era obra do esquecido, o Deus imóvel parado no horizonte como um vulcão prestes a explodir, observando a sua horrível criação.

Acho que vou morrer de fome aqui nesse quarto, porque não posso sair daqui, caso contrário os mortos vão me pegar. Mas se fico aqui até definhar, eu reanimarei e farei a mesma caminhada que eles, sem rumo e sem nexo, vagando pela eternidade nesse mundo sombrio. Penso em cometer suicídio, mas isso escaparia pelo mesmo caminho. O que me resta agora é esperar, esperar até que algo aconteça, ou que meu estômago comece a se contorcer de fome, e minha garganta de sede, o que já está acontecendo, porque eu iria abastecer a despensa amanhã, mas o amanhã nunca virá. Não tenho comida, a água disponível só dará para dois dias, depois não haverá mais nada para tomar.

Vou poupar o máximo de água possível porque estou num mar de caos onde não posso sair de modo algum de meu barco, no caso, meu quarto. Terei de sobreviver a medida do possível até morrer ou enlouquecer de vez nesse paraíso infernal que foi construído para nós...

... Que o maldito Deus seja louvado!

(dedicado ao mestre do terror, H. P. Lovecraft. 115 anos de seu nascimento)

  • 2254 visitas desde 20/04/2006
menu
Lista dos 2201 contos em ordem alfabética por:
Prenome do autor:
Título do conto:

Últimos contos inseridos:
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br