A Garganta da Serpente
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

Tempo de sombras tristes

(Arles)

Em tempos tristes minha mãe se apoderava de um canto da sala e só se retirava quando o sol cavalgava sobre as longitudes do mundo.

Houve então um dia em que o sol desdobrando pela montanha não apareceu mais em nossa casa ficando o mundo resumido num quadro sem fim onde as faces se faziam ver pelas desordens do silêncio.

Fizemos-nos também tristes e por dezoito mil duzentos e cinquenta dias ouvi os passos de nossa mãe se perderem vagarosamente pela sala sem que a gente alcançasse.

Um dia quando o sol despontou sobre a montanha e nossa casa ficou outra vez clara, demos com nossa mãe no chão, fixa, esboçada embaixo da copa de uma árvore. Corremos até ela sem darmos conta de tristezas, de silêncio, nem de felicidades. Abraçamos nossa mãe, carregamos até a casa e nos tornamos como ela: uma sombra.

  • 2332 visitas desde 31/07/2007
menu
Lista dos 2201 contos em ordem alfabética por:
Prenome do autor:
Título do conto:

Últimos contos inseridos:
Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br