A Garganta da Serpente
Cine Cobra para ler e assistir
  • aumentar a fonte
  • diminuir a fonte
  • versão para impressão
  • recomende esta página

O Senhor da História

(Ivaldo Gomes)

Marcus Vilar e Durval Leal (e todos que ajudaram no projeto do Senhor do Castelo) prestaram um tributo à cultura brasileira, registrando, no que com certeza será o mais amplo e profundo registro sobre o grande paraibano Ariano Suassuna. Que aparece no filme despojado de suas áureas e faz um registro digno dos grandes homens. Fazer um documentário sobre Ariano Suassuna é fácil. O difícil é fazê-lo falar naquela profundidade, com a cumplicidade de quem se entrega de corpo e alma ao depoimento de uma vida vivida em prol dos mais renomados valores da nossa cultura. Principalmente a popular.

O Senhor do Castelo, excelente documentário de Marcus Vilar e Durval Leal, cumpre o papel de ser o Senhor da História. Onde o contador se faz presente de viva voz e se mostra por inteiro em todos os seus ângulos. Com direção primorosa, competente, segura, em montagem repleta de idas e vindas, formando um caleidoscópio fenomenal sobre esse grande 'vate' da cultura brasileira e por força do destino mais um grande paraibano que fica na história desse país. O Senhor do Castelo nos mostra quão grande é a criatividade, a luta, a esperança e a graça de Ariano Suassuna. Que nos faz sentir prazer em ser sertanejo, caririzeiro, nordestino enfim, orgulho de sermos o que somos.

Ouvir de Ariano o seu discurso, 'tripeziado' pela mão segura de Marcus Vilar, nos deixa um gostinho de que a cultura brasileira estará salva da invasão inimiga dos clichês, dos enlatados, dos traços da cultura subliminar de outras matrizes culturais que não as nossas. Tal qual um Dom Quixote de Taperoá, com seus moinhos de ventos e suas tempestades de peças, romances, poesia, movimentos e artes enfrentando o desafio de perpetuar a língua e a história de um povo. Nosso povo. Um mago a serviço da continuidade. Da perenidade da cultura de raiz. Do íntimo de cada um de nós, arrastados por esses longos e contemporâneos quinhentos anos de colonização. Enfim, somos uma nação com língua, cultura e gestos próprios.

O Senhor do Castelo é a certeza de que ficará na história o registro vivo, a imagem real, de discursos e gestos, pontuados por um personagem que ficará eternamente na história literária desse país. Um homem simples, que fez o que tinha que ser feito. E bem feito disse e proclamou a cultura de sua terra, de sua vida, da vida de todos nós. Agradecer a Ariano Suassuna por tudo que ele fez é pouco. Como é pouco elogiar o filme feito por Marcus Vilar e Durval Leal.

Quando se trabalha com conteúdos de qualidade, o resultado, indubitavelmente, termina por fazer o registro, a prova, dessa qualidade como resultante. E eis que surge um Ariano Suassuna, Senhor do Castelo. Mas surge também um Marcus Vilar que se torna o Senhor da História. E que história. E que senhor historiado e que filme a humanidade ganhou. Parabéns. Ganhamos todos nós.

O Senhor do Castelo
Direção: Marcus Vilar
Duração: 70 minutos
Ano: 2007

  • 2259 visitas desde 3/04/2009


Quer outra dica de filme?

Copyright © 1999-2020 - A Garganta da Serpente
http://www.gargantadaserpente.com.br